Celebrações - Senhora das Dores

Realizou-se no passado dia 18 de Março, na igreja da nossa Irmandade, a Festividade anual de Nossa Senhora das Dores, à qual compareceram, como sempre, inúmeros fiéis e devotos da Mãe das Dores, cuja imagem aqui é venerada durante todo o ano com especial devoção. Na homilia que proferiu durante a celebração solene da Eucaristia a que presidiu, o Sr. D. Pio Alves, bispo auxiliar do Porto, elucidou-nos sobre a Mensagem do Papa Francisco para esta Quaresma de 2016, na qual o Santo Padre invoca a intercessão materna de Nossa Senhora para o caminho de conversão a que somos convocados pela Igreja, especialmente neste Tempo favorável. Ressalta do ensinamento e comentário à Liturgia da Palavra desta Festa, pela parte do Sr. Bispo Auxiliar do Porto, a tríplice filiação que temos, aludindo às três condições humanas e espirituais, que os cristãos possuem: Filhos de Eva – cristãos no mundo; Filhos de Maria – a quem Cristo nos entregou na hora decisiva da Sua entrega; Filhos de Deus – única Família que tem a Deus como Pai. A culminar as celebrações, teve lugar o Canto de Vésperas, a que presidiu o Rev.º Sr. Reitor da Igreja dos Congregados, com a habitual dignidade e cordialidade com que costuma acolher todos os fiéis. Destaca-se desta celebração, o cortejo litúrgico que se fez ao venerando altar da Senhora das Dores. A propósito deste altar, o Sr. Reitor referiu a importância histórica que o mesmo adquiriu, aquando da Revolta do Porto em 1927, durante a qual foi atingido por uma granada, que não explodiu, nem feriu a ninguém presente na Igreja dos Congregados a essa data, e a que a esse facto, atribuiu o Povo de Deus, a maternal protecção da Virgem Nossa Senhora.

S.C

FESTA DE SANTO ANTÓNIO 2016

Celebrou-se no passado dia 13 de Junho, a Festa anual do nosso Padroeiro Santo António, com o esplendor e dignidade que a mesma exigia. Presidiu à celebração da Santa Missa, o Sr. D. António Augusto Azevedo, bispo auxiliar do Porto, sendo concelebrada pelo nosso digníssimo Reitor e Pe. Álvaro Tavares, ilustre irmão da Irmandade. Fizeram-se notar pela sua presença, quase todos os Órgãos directivos da Irmandade de Santo António dos Congregados, assumindo com elevada dedicação, a participação na Eucaristia. De tarde, teve lugar a Celebração solene da Hora de Vésperas, findas as quais, foi abençoado e distribuído o «pão de Santo António» a todos quantos estavam presentes, - em grande número - sendo ainda levados alguns, por sugestão do Senhor Reitor, a irmãos doentes ou em solidão. A celebração terminou com o ósculo e veneração da relíquia de Santo António

S. C.